O Grupo de Trabalho (GT), composto por membros do Governo Federal e de empresas aéreas, deu continuidade, em Brasília, à formulação de propostas que fomentem o setor e garantam mais competitividade ao operador e ao cliente. Com mais de 20 pontos para serem equiparados, participaram do encontro, além da diretoria executiva da Embratur, representantes do Ministério do Turismo, da Anac, da Abear, de companhias aéreas e da Iata.

“Hoje as empresas nos apresentaram a realidade delas aqui no Brasil e como internacionalmente isso é inexistente. O governo de Jair Bolsonaro é um defensor de práticas liberais e estímulo à economia e à concorrência. Com esse subsídio poderemos estudar medidas que fomentem o setor, acarretem numa melhor oferta de serviços ao cidadão e estimulem o Turismo”, afirmou o diretor-presidente da Embratur, Gilson Machado Neto.

Entre os temas apresentados estão soluções mais ágeis para impasses jurídicos, barateamento do combustível, adequações do Código Brasileiro de Aeronáutico à Convenção de Montreal, que regula o transporte aéreo internacional, e revisões de tarifas cobradas no País e que não estão no cenário internacional. As propostas definidas no encontro serão agora analisadas por cada organização participante.

O secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, Bob Santos, também reforçou a importância de um cenário aéreo que atenda o Turismo regional. “Este diálogo entre membros do Governo e entidade privada é fundamental para que o diagnóstico seja feito corretamente.”

Fonte: Panrotas 17/01/2020

  : brasil