A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) divulgou os resultados do transporte aéreo de cargas no mês de junho, mostrando que houve melhora de 9,9% em comparação com o mesmo mês em 2019.

No primeiro semestre, o crescimento foi de 8%, o melhor no período desde 2017, quando houve alta de 10,2% em relação ao ano anterior. A capacidade global, medida em toneladas de carga disponíveis (ACTKs), permaneceu restrita em 10,8% abaixo dos níveis pré-pandemia (junho de 2019) devido à contínua inoperância de aeronaves de passageiros.

A América Latina voltou a ter um mau desempenho mensal, com queda de 22,9% no volume internacional de cargas em junho, em comparação ao mesmo mês em 2019. O órgão justifica o resultado pelo enfraquecimento no setor na região, fruto da perda de participação de mercado das companhias aéreas locais para transportadoras de outras regiões.

"A carga por via aérea está fazendo negócios rápidos à medida que a economia global continua sua recuperação da crise. (...) Ela é um fator vital de receita para muitas companhias, pois lutam com fechamentos de fronteiras que continuam a devastar o negócio internacional de passageiros. É importante ressaltar que o forte desempenho no primeiro semestre parece definido para continuar", disse o Diretor Geral da Iata, Willie Walsh.

Fonte: Aeromagazine 28/07/2021

  : aviacao-comercial, internacional