Mesmo com o Brasil ainda enfrentando os efeitos da suspensão de voos nos últimos meses, o aeroporto de Salvador terá um dos verões mais conectados da última década. A previsão é que o aeroporto baiano tenha voos para todas as regiões do Brasil no período da alta estação.

A partir de 18 de dezembro, o terminal terá voos diretos para todas as capitais da região Nordeste e do Sudeste, para duas capitais do Sul, duas do Centro-Oeste e uma do Norte. A concessionária Vinci Airports, destaca a inédita operação entre Salvador e Palmas, no Tocantins, que terá quatro frequências semanais.

As rotas para Porto Alegre e Curitiba também ampliam a conectividade do aeroporto de Salvador, que por ora, é o único do Nordeste com voos diretos para as duas capitais. A Gol, que é responsável por quase todos os novos voos, ampliou sua presença na Bahia, tornando Salvador um dos seus maiores hubs no país. A operação é uma resposta a presença das rivais Azul e Latam em outros aeroportos da região, tornando o Nordeste um novo polo de distribuição de voos no país.

Com o acréscimo desses voos a Gol iniciará 2021 atendendo a 25 destinos a partir de Salvador ante apenas treze em janeiro de 2020, enquanto a oferta de assentos será 23% maior do que a existente em meados de dezembro de 2019.

“Temos observado que a Bahia tem se destacado no Brasil na retomada das viagens aéreas. Atribuímos isso não só à sua variedade de opções de destinos de lazer, mas também à sua economia robusta, à sua localização central no país e à infraestrutura adequada”, avaliou Marc Gordien, diretor comercial do Salvador Bahia Airport.

Salvador contará ainda com voos diretos para São Luís, no Maranhão e Teresina, no Piauí. Esses dois destinos são uma novidade em relação ao verão passado. A VoePass irá operar mais voos para Maceió, com duas partidas diárias e para Porto Seguro, também com duas frequências por dia. A regional Abaeté também anunciou que a partir do dia 18 de dezembro terá voos diários para Morro de São Paulo, um dos destinos mais populares na região.

Antes da pandemia havia uma tendência das empresas aéreas em ampliarem a oferta de voos diretos entre as principais cidades nordestinas, evitando assim a necessidade de conexão em outros aeroportos, notoriamente Brasília e Guarulhos. Mesmo após o difícil período da pandemia os voos inter-regionais são, em geral, frequências novas e não mudança da malha nacional.

Fonte: Aero Magazine 29/10/2020

  : brasil