O novo projeto da fabricante brasileira Embraer para um novo avião turboélice para o mercado regional, oferecendo o novo projeto à companhias aéreas norte-americanas que são clientes antigas da linha de jatos ERJ.

A Embraer apresentou o projeto para alguns executivos ontem (27), o intuito é mostrar que a nova geração pode substituir antigos aviões de 50 à 90 passageiros em mercados domésticos e regionais. Os executivos das companhias aéreas concordaram com a renovação da frota porém alguns não comentaram sobre o projeto da Embraer.

Mark Neely, que é executivo da fabricante brasileira de Vendas e Marketing para as Américas disse que o novo avião terá uma cabine semelhante aos da família E-Jet. O presidente-executivo da Embraer Arjan Meijer, disse que a nova aeronave poderia ser lançada em 2022 com previsão de entrada em operação a partir de 2027 ou 2028.

O novo turboélice chega com grande expectativa na Embraer, pois a aeronave poderá ser um substituto dos antigos ERJ-135/145 além de aeronaves da família Bombardier/Mitsubishi CRJ, o novo projeto traz o conceito de cauda em ‘T’ e com motores turboélices na cauda.

Bryan Bedford que é CEO da Republic Airways, disse que o novo projeto da Embraer é ‘interessante’, analisando que aeronaves com motores turboélices tendem a ser mais econômicas do que os jatos em determinados mercados. 

O executivo disse ainda que o novo motor com “arquitetura propfan”, turbofans com “caixas de redução” por exemplo, poderão melhorar a eficiência operacional da aeronave e consequentemente reduzindo seus custos operacionais. Bedford também é um dos que apoia e defende incentivos fiscais para as empresas que utilizarem mais o Biocombustível de Aviação.

O CEO da Skywest, Chip Childs, disse que há espaço para todas as fabricantes apresentarem novos projetos para substituir antigos aviões. Segundo o executivo, se as atuais aeronaves voarem por pelo menos dez anos mais, poderá ocasionar problemas para as empresas.

Fonte: Aeroflap 28/09/2021

  : aviacao-geral, brasil, internacional