Um futuro avião comercial turbo-hélice da Embraer está cada dia mais perto da realidade. O fabricante publicou em sua conta no Twitter as primeiras imagens do que poderá ser sua nova aeronave. 

Ainda que não apresente nenhum detalhe extra sobre o avião, a Embraer novamente confirmou através de um de seus executivos que estuda um projeto comercial turbo-hélice, que poderá ser produzido em parceria com algum fabricante internacional.

Em entrevista ao podecast Airfinance Journal Week, o vice-presidente de Marketing da Aviação Comercial, Rodrigo Silva e Souza, apresentou detalhes dos planos do fabricante brasileiro para a aviação comercial nos próximos anos.

A conversa segue a linha apresentada pelo o CEO da Embraer, Francisco Gomes Neto, em entrevista ao Check 6 podcast, da Aviation Week & Space Technology. O plano inicial prevê uma aeronave voltada para o mercado regional, com capacidade inferior aos cem assentos. Um dos destaques do modelo poderá ser o uso de novas tecnologias de propulsão, inclusive com um motor híbrido-elétrico.

A divulgação de uma imagem do provável avião demonstra o avanço nos estudos para uma nova categoria de mercado. A Embraer até meados dos anos 2000 tinha o EMB-120 Brasília, um turboélice regional para até trinta assentos, mas que na ocasião mostrava poucas perspectivas de vendas.

Todavia, o envelhecimento dos principais aviões comerciais turbo-hélices do mercado, somados ao novo cenário que poderá emergir após a pandemia, pode ampliar as chances de um avião intermediário entre o Brasília e a família ATR, do consórcio franco-italiano que tem a Airbus como uma das sócias.

A ilustração digital apresentada pela Embraer não permite maiores análises sobre as capacidades do avião e nem mesmo quais soluções serão aplicadas ao programa. Aliás, a imagem destaca ser apenas ilustrativa. Ainda assim, é pouco provável que um modelo real seja radicalmente diferente. Um dos destaques é a opção por uma aeronave de asa baixa, contrariando a tendência no segmento de modelos de asa alta, como o ATR e o Dash 8, este último da de Havilland Canada. O mockup digital mostra um avião com um desenho similar ao Brasília, ainda que conceitualmente o projeto deva ser bastante diferente. O design básico ainda remete aos Saab 340 e Saab 2000, uma família de aeronaves regionais turbo-hélices desenvolvida pelo fabricante sueco até meados de 1999.  

Fonte: Aero Magazine 29/10/2020

  : aviacao-comercial, brasil