A Boeing pode suspender o desenvolvimento de uma aeronave intermediária, na faixa do 767, para focar seus esforços no desenvolvimento de um substituto para o 737 MAX. Embora ainda confidencial, alguns operadores da família 737 foram convidados para participar do projeto.

A fabricante norte-americana trabalha há vários anos no programa New Midmarket Aircraft (NMA) que prevê um avião de capacidade intermediária entre os atuais 737 MAX 10 e os 787-8 Dreamliner. O objetivo inicial era desenvolver uma nova família de aviões, substituindo os veteranos 757 e 767, com foco no primeiro. Entretanto, uma mudança interna levou a Boeing a priorizar o substituto do 767, algo que a própria fabricante havia feito quando lançou o 787 Dreamliner.

Agora o mercado e fontes na Boeing afirmam que o projeto prioritário passa a ser o Future Small Airplane (FSA) que poderá substituir toda a família 737 MAX. Ainda que seja um projeto confidencial e sem um anuncio oficial, a Boeing estaria inclusive trabalhando em conjunto com os principais operadores do 737 para definir o novo avião, que deverá ser concluído no final da próxima década.

A Boeing poderá ainda oferecer ao mercado uma versão remotorizada do 767, similar ao conceito adotado pela Airbus com o A330neo, que basicamente inseriu novos motores ao conceituado A330.

Fonte: Aero Magazine 28/11/2019

  : aviacao-comercial, internacional