Os 20 principais aeroportos do país, responsáveis por 87% da movimentação de passageiros da aviação regular, registraram 90% de aprovação de acordo com o resultado do primeiro trimestre de 2019 da Pesquisa de Satisfação do Passageiro, realizada pelo Ministério da Infraestrutura.

Na opinião dos entrevistados, a maioria avaliou com nota 4 (bom) ou 5 (muito bom) os principais terminais do País, numa escala de 1 a 5. Na comparação entre o 1º trimestre de 2018 e o de 2019, a evolução da satisfação geral do passageiros passou de 4,30 para 4,39, alta de 2%, considerando os 20 terminais pesquisados.

A nota está acima de da meta estabelecida pela Conaero (Comissão Nacional das Autoridades Aeroportuárias), que é 4. Em relação aos outros 37 indicadores avaliados, a cordialidade e prestatividade dos funcionários do check-in, na média, foi o que obteve maior nota (4,74).

E o custo-benefício dos alimentos foi o único que não teve nota satisfatória (2,96). O Aeroporto de Vitória foi o melhor entre os oito terminais que compõe a categoria que movimenta até 5 milhões de passageiros por ano, com nota 4,61, no indicador que mede a satisfação geral. Além disso, o aeroporto foi o que mais evoluiu na comparação entre o 1º trimestre de 2018 e 2019, de 21,3%.

Em segundo lugar ficaram Maceió, Manaus e Goiânia, empatados com 4,50. Florianópolis foi o único com nota abaixo de 4 (3,94) entre todos os avaliados. Porém, o terminal catarinense teve alta de 10,2% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No grupo que movimenta de 5 a 15 milhões, Viracopos teve o melhor resultado da rodada, 4,77, com crescimento de 3% em relação a 2018.

O terminal de Curitiba ficou em segundo com 4,73, seguido de Confins, 4,65. Fortaleza teve a menor nota entre os oito aeroportos da categoria, 4,16. Já na categoria que movimenta acima de 15 milhões de passageiros por ano, Brasília teve a melhor nota (4,50) em relação aos aeroportos do Galeão (4,40), Congonhas (4,36) e Guarulhos (4,33).

Contudo, o terminal carioca registrou a maior alta do grupo na comparação com o 1º trimestre de 2018, de 3,9%.

Fonte: Flap Internacional 25/04/2019

  : aviacao-comercial, aviacao-executiva, aviacao-geral, brasil