A Fraport assumirá a administração do Aeroporto Internacional Salgado Filho nesta terça-feira (2). Vencedora de leilão realizado em 2017, a companhia alemã deverá operar em Porto Alegre pelos próximos 25 anos, com possibilidade de prorrogação de contrato por mais cinco. 

A informação sobre o início das operações foi divulgada na manhã desta segunda (1º) pelo governo do Estado. Durante a tarde, contatada por GaúchaZH, a empresa confirmou o começo das atividades.

Em leilão em março de 2017, a Fraport arrematou o Salgado Filho por R$ 382 milhões. Quatro meses depois, em julho, assinou o contrato de concessão com o governo federal. Segundo o acordo, o terminal ainda será administrado em parceria com a Infraero até o primeiro semestre deste ano.

Em outubro, a nova administradora apresentou projeção de investimento inicial de R$ 600 milhões em obras no aeroporto. Conforme a diretora-executiva da empresa alemã no Brasil, Andreea Pal, a quantia será aplicada entre 2018 e 2021 em melhorias como a ampliação da pista. A estimativa da companhia é de que cerca de 90% dos recursos saiam de seus cofres nos dois primeiros anos.

De acordo com o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, estudos preliminares apontaram que o investimento ao longo da concessão poderá chegar a R$ 1,9 bilhão. Porém, não há obrigação de que se atinja esse valor, desde que as obras necessárias sejam concluídas, afirma a pasta.

Um dos principais desafios da Fraport é a ampliação da pista do Salgado Filho em 920 metros, para que a estrutura chegue a 3,2 quilômetros. O prazo para conclusão da extensão é de 52 meses (pouco mais de quatro anos). Um dos entraves para os trabalhos reside nas incertezas que cercam a remoção de famílias que vivem na Vila Nazaré – tarefa a cargo do Departamento Municipal de Habitação (Demhab).

A companhia também promete melhorias no sistema de drenagem da pista, para elevar a segurança de pousos e decolagens, avanços no sinal de wi-fi e mudanças nos banheiros. Entre as obras, o edital de concessão também prevê a construção de estacionamento com 1,7 mil vagas.

Fonte: GaúchaZH 01/01/2018

  : aviacao-comercial, aviacao-executiva, aviacao-geral, brasil