A Embraer obteve algumas melhorias nas especificações finais para o novo E190-E2, que deverá ser certificado ainda no primeiro trimestre de 2018. De acordo com os dados divulgados, o avião obteve uma economia extra de combustível de 1,3% e um alcance de 750 nm extras, a partir de aeroportos altos e quentes (hot-and-high), em relação as especificações originais.

Os aperfeiçoamentos aerodinâmicos da nova família E2, incluindo as melhorias adicionadas na fase de ensaios em voo, possibilitaram uma redução no consumo de combustível de 17,3% em relação ao E190 original, o que coloca o valor 1,3% acima da estimativa original de projeto. Além de permitir uma redução nos custos por voo, a melhora representa uma emissão de COâ‚‚ de 1.700 toneladas a menos na atmosfera ao longo de 10 anos.

 

A família E2 recebeu novas asas, com refinamento aerodinâmico e fuselagem com melhorias que permitiram reduzir o arrasto. Além disso, um melhor controle no peso permitiu otimização dos flaps e slats, assim como redução do arrasto em componentes associados a performance de decolagem, como o trem de pouso.

 

O melhor alcance, de até 2.000 nm, permite o E190-E2 voar sem escalas do aeroporto London City, no centro da capital inglesa, para Rússia, Turquia e Egito. Já nos aeroportos como Cidade do México, considerado um dos mais altos e quentes do mundo, o alcance passou para 1.600 nm, o que permite voar sem escaldas para diversas apitais na América do Sul.

Outro avanço obtido nos ensaios em voo foi a redução no ruído, que possui margem de 20EPNdB no Estágio 4 de ruídos, melhoria de 3EPNdB em relação aos requisitos originais.

O E190-E2, o primeiro modelo da nova família E2, completou o programa de certificação com 2.000 horas de voos de teste, e atingiu mais de 98% dos requisitos para receber a homologação por parte das autoridades do Brasil, Estados Unidos e Europa.

 

Fonte: AeroMagazine 22/01/2018

  : aviacao-comercial, brasil